terça-feira, 26 de julho de 2011

ó meu pai - hino SUD



Ó meu tu que habitas
Na real celeste mansão,
Quando verei a tua face
Em tua santa habitação?
Tua morada sempre fora
De minh'alma doce lar?
E na minha alegre infancia
Pude ao teu lado habitar?
Tu ao mundo me mandaste
Por teu glorioso poder
E esqueci-me das lembranças
De meu preterito viver!
Às veses ouço em segredo:
"Um estranho és aqui."
Bem sei que sou um peregrino
De outra esfera em que vivi.
Pelo espirito Celeste
Chamar-te pai eu aprendi
E a doce luz do evangelho
Deu-me vida, paz em ti.
Há somente um Pai Celeste?
Não, pois temos mãe também
Essa verdade tão sublime
Nós reccebemos do além!

Quando deixar a humana vida
Este frágil corpo mortal,
Pai e mãe verei contente
Na mansão Celestial
E terminada a tarefa
Que me mandaste executar,
Dá-me santo assentimento
Para a teu lado sempre estar!

Nenhum comentário:

Postar um comentário